segunda-feira, 29 de maio de 2017

# PENSAMENTO FUNDAMENTAL #

Pearl Bunting
 
Circunstâncias podem haver quando o pastor seja compelido, com vistas à eficácia de seu ministério, a buscar independência financeira, parcial  ou total, momentânea ou definitiva, segundo ocaso – André Biéler   
Con la gracia de Dios  - M. Peres S. 
Pearl Bunting

Livre de vírus. www.avast.com.

ESBOÇO DE SERMÃO

 
Mateus 17: 24-27
 
Jesus nosso exemplo de autoridade e submissão
m. peres s.
 
  1. Jesus sabe de todas as coisas
    - o peixe com a moeda
     
  2. A natureza se submete a Jesus
     
  3. Pedro submete-se a Jesus
     
     
Con la gracia de Dios  - M. Peres S. 

Livre de vírus. www.avast.com.

amor...

Heirloom
 
FAMÍLIA: O amor custa caro
m. Peres s.
 
"O amor... tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O  amor jamais acaba..." - 1 Coríntios 13:7,8
 
Lendo biografias ou assistindo a documentários sobre famosos, uma coisa fica muito clara: a grande maioria deles tem sérios problemas em manter uma união estável com suas famílias.
No curso de suas vidas, são inúmeros os casamentos; além, de tumultuada relação com os filhos. Tudo a preço do sucesso em suas carreiras. O infinito amor que devotam, na hora da cerimônia nupcial, não resiste à primeira crise de opiniões divergentes.
O casamento não é um contrato que se firma em cartório (o cartório só o regulamenta); mas, uma realidade que se assenta solenemente no coração e dirige todos os atos da vida comum.
O verdadeiro amor em família, assume um caráter sacrificial, onde o cônjuge busca, deliberadamente, realizar a felicidade do outro. Faz tudo para que o outro esteja bem e protegido em sua companhia.
Isso custa muito caro!
Em geral, queremos nós, ser felizes com outro. Quando não conseguimos, partimos para outro. É como se as pessoas fossem uma mera engrenagem na máquina da felicidade.
Quando buscamos a felicidade do outro, estamos, edificando também a nossa. Nisso, temos que exercitar o amor abnegado, o perdão unilateral, a misericórdia alegre, a compaixão edificante, a compreensão numa atmosfera de cumplicidade. Isso leva muito tempo; talvez uma vida. Mas, vale a pena!
Shalom!
Con la gracia de Dios  - M. Peres S. 
Heirloom

Livre de vírus. www.avast.com.

domingo, 28 de maio de 2017

A IMITAÇAO DE CRISTO - tOMAS a. kEMPIS

 
 
CAPÍTULO 29
Como, durante a tribulação, devemos invocar a Deus e bendizê-lo
 
1. A alma: Senhor, bendito seja para sempre o vosso nome! Pois quisestes que me sobreviesse esta tentação e este trabalho. Não lhes posso fugir, mas tenho necessidade de recorrer a vós, para que me ajudeis e tudo convertais em meu proveito. Eis-me, Senhor, na tribulação, com o coração aflito; e quanto me atormenta o presente sofrimento. Pois que direi eu agora, Pai amantíssimo? Apertado estou entre angústias: "Salvai-me nesta hora. Veio sobre mim este transe, só para que vós fôsseis glorificado (Jo 12,17), quando eu estivesse muito abatido e fosse por vós livrado". "Dignai-vos, Senhor, livrar-me" (Sl 39,14); pois, pobre de mim, que farei e aonde irei, sem nós? Daí-me, Senhor, paciência ainda por
2. esta vez. Socorrei-me, Deus meu, e não temerei, por mais que seja atribulado.
 
2. E que direi em tamanha necessidade? Senhor, seja feita a vossa vontade. Bem mereço ser atribulado e angustiado. Convém-me sofrer, e oxalá seja com paciência, até que passe a tempestade e volte a bonança. Bastante poderosa é, entretanto, vossa mão onipotente para tirar-me esta tentação, e moderar-lhe a violência, a fim de que não sucumba de todo; assim como já tantas vezes tendes feito comigo, ó meu Deus e minha misericórdia. E quanto mais difícil para mim, tanto mais fácil para vós é esta mudança da destra do Altíssimo (Sl 76,11).
Con la gracia de Dios  - M. Peres S. 

Livre de vírus. www.avast.com.

ANTES QUE SEU FILHO CHEGUE ÀS DROGAS - M. PERES S.

 
 
Capítulo VII
M. PERES S.
 
 
ESTABELEÇA
 
Antes que seu filho chegue às drogas estabeleça regras familiares, criando um ambiente equilibrado de direitos e deveres.
 
Já é do domínio público a idéia que nenhuma  criança pode viver ao sabor de seus próprios e únicos impulsos. É preciso orientá-la no que deve e no que não pode fazer. Dar a ela o que é preciso na hora certa, negar-lhe o que e não é de direito nem ocasião oportuna, estabelecendo assim limites para suas ações.
  1.  
    No decálogo  "Como criar um delinqüente", temos algumas sugestões muito preciosas e interessantes de como os pais devem agir se querem em sua casa alguém que não respeita ninguém, e ainda mais, se transforma numa ameaça para sai mesmo e para os outros.
     
    Diz o decálogo:
     
    1. Comece na infância dar ao seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando crescer, ele acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que desejar;
     
    2. Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante;
     
    3. Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere que ele chegue aos 21 anos e "decida por si mesmo";
     
    4. Apanhe tudo ao que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas;
     
    5. Discuta com freqüência em sua presença. Assim ele não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde;
     
    6. Dê-lhe todo o dinheiro que quiser. Nunca o deixe passar pelas mesmas dificuldades que você passou;
     
    7. Satisfaça todos os deus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar frustrações prejudiciais;
     
    8. Tome partido dele contra vizinhos, professoras, policiais. (Todos têm má vontade para com o seu filho);
     
    9. Quando ele se meter em alguma encrenca séria , dê essa desculpa: "Nunca consegui dominá-lo";
     
    10.  Prepare-se para uma vida de desgosto. É seu merecido destino.
     
    Como estabelecer o equilíbrio entre o amor permissivo e o dever disciplinador que educa na correção adequada?
     
    Precisamos começar a dizer não aos imediatismos. Atitudes nossas que só respondem ao momento imediato. É necessário levar em conta que estamos edificando vidas que se afirmarão ou não por toda a existência. O  que fazemos agora refletirá não somente em nossos filhos, mas em muitas gerações futuras.
     
    É preciso agir no momento, mas pensando no que virá de pois, e depois, e depois...
     
    O futuro se constrói agora, com as ações de hoje.
     
    Por enquanto que nosso filho é nossa responsabilidade, necessário se faz procurar acercarmo-nos do que melhor existe em matéria de disciplina  e educação.
     
    Mantenha-se desarmado quanto ao seu filho, não dando a entender que está sempre prevenido e tendencioso em referência  às suas atitudes. Não inspire desconfiança ou terror  da parte dele.
     
    Quando for preciso resolver alguma questão, mantenha-se calmo, seguro daquilo que acredita ser o melhor para ela. Quem precisa gritar para ser ouvido e obedecido é sinal que há muito não tem mais a autoridade, da qual tenta fazer uso naquele momento.
     
    Seja firme e sereno.
     
    Seja franco sem ser rude.
     
    Seja calmo sem ser irônico.
     
    Nunca responda uma pergunta com outra pergunta. Isso irrita demais e dá um falso ar de superioridade. Responda sempre o que for perguntado.
     
    Procure manter a confiança dele em alta a seu respeito.
     
    Filhos procuram a rua quando em casa  seus pais já não representam mais nada para eles e seus problemas.
     
    Não se precipite respondendo uma série de perguntas que ela ainda não faz. E as que ele fizer não responda com chavões populares e de cultura   senso comum. Não responda mais do que o necessário, e ao nível de sua compreensão. Deixe-o com um 'gostinho de quero mais".
     
    Nunca prometa algo que não está realmente disposto a cumprir. Não deixe um ar de quem está fugindo da questão ou se irritando com a conversa.
     
    Quando prometer, simplesmente cumpra.
     
    É importante ter em mente que nossos filhos são pessoas humanas cheias de virtudes , sonhos, contradições. São pessoas que guardam em si o direito de terem suas próprias vidas e opiniões . Só que muitas vezes , por  mais boa vontade  de tenham desconhecem as respostas que precisam para atingirem de fato seus objetivos e verem seus desejos concretizados.
     
    Alguém tem que estar disposto  a orientá-los. Não deixe que isso ocorra na rua.
     
    Não despreze nenhuma de suas questões ou preocupações. Como não superestime suas qualidades, exigindo deles o que você não conseguiu. E se conseguiu, deixe-os viver suas próprias vidas. Não espere que ele só acerte. Dê-lhe o direito de procurar suas próprias respostas. Porém, ficando por perto caso ele precise de ajuda.
     
    Esteja sempre pronto e animado para recomeçar. Aqui está o princípio do sucesso.
     
    Faça do seu lar um lugar gostoso de se viver.
     
    Faça suas exigências como quem pede um favor.
     
    Peça a Deus que o ajude a tomar a decisão certa.
     
    Que seus filhos tenham saudades de casa quando estiverem longe e almejem sempre e o mais rápido possível retornar. Este é o maior teste de que estamos no caminho certo.
     
    Nossa casa é o nosso melhor e maior patrimônio. Preserve-a para si  e para toda a sua família!!
Con la gracia de Dios  - M. Peres S. 

Livre de vírus. www.avast.com.

AS CONFISSÕES DE AGOSTINHO

 
Capítulo VII
M. PERES S.
 
 
ESTABELEÇA
 
Antes que seu filho chegue às drogas estabeleça regras familiares, criando um ambiente equilibrado de direitos e deveres.
 
Já é do domínio público a idéia que nenhuma  criança pode viver ao sabor de seus próprios e únicos impulsos. É preciso orientá-la no que deve e no que não pode fazer. Dar a ela o que é preciso na hora certa, negar-lhe o que e não é de direito nem ocasião oportuna, estabelecendo assim limites para suas ações.
  1.  
    No decálogo  "Como criar um delinqüente", temos algumas sugestões muito preciosas e interessantes de como os pais devem agir se querem em sua casa alguém que não respeita ninguém, e ainda mais, se transforma numa ameaça para sai mesmo e para os outros.
     
    Diz o decálogo:
     
    1. Comece na infância dar ao seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando crescer, ele acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que desejar;
     
    2. Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante;
     
    3. Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere que ele chegue aos 21 anos e "decida por si mesmo";
     
    4. Apanhe tudo ao que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas;
     
    5. Discuta com freqüência em sua presença. Assim ele não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde;
     
    6. Dê-lhe todo o dinheiro que quiser. Nunca o deixe passar pelas mesmas dificuldades que você passou;
     
    7. Satisfaça todos os deus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar frustrações prejudiciais;
     
    8. Tome partido dele contra vizinhos, professoras, policiais. (Todos têm má vontade para com o seu filho);
     
    9. Quando ele se meter em alguma encrenca séria , dê essa desculpa: "Nunca consegui dominá-lo";
     
    10.  Prepare-se para uma vida de desgosto. É seu merecido destino.
     
    Como estabelecer o equilíbrio entre o amor permissivo e o dever disciplinador que educa na correção adequada?
     
    Precisamos começar a dizer não aos imediatismos. Atitudes nossas que só respondem ao momento imediato. É necessário levar em conta que estamos edificando vidas que se afirmarão ou não por toda a existência. O  que fazemos agora refletirá não somente em nossos filhos, mas em muitas gerações futuras.
     
    É preciso agir no momento, mas pensando no que virá de pois, e depois, e depois...
     
    O futuro se constrói agora, com as ações de hoje.
     
    Por enquanto que nosso filho é nossa responsabilidade, necessário se faz procurar acercarmo-nos do que melhor existe em matéria de disciplina  e educação.
     
    Mantenha-se desarmado quanto ao seu filho, não dando a entender que está sempre prevenido e tendencioso em referência  às suas atitudes. Não inspire desconfiança ou terror  da parte dele.
     
    Quando for preciso resolver alguma questão, mantenha-se calmo, seguro daquilo que acredita ser o melhor para ela. Quem precisa gritar para ser ouvido e obedecido é sinal que há muito não tem mais a autoridade, da qual tenta fazer uso naquele momento.
     
    Seja firme e sereno.
     
    Seja franco sem ser rude.
     
    Seja calmo sem ser irônico.
     
    Nunca responda uma pergunta com outra pergunta. Isso irrita demais e dá um falso ar de superioridade. Responda sempre o que for perguntado.
     
    Procure manter a confiança dele em alta a seu respeito.
     
    Filhos procuram a rua quando em casa  seus pais já não representam mais nada para eles e seus problemas.
     
    Não se precipite respondendo uma série de perguntas que ela ainda não faz. E as que ele fizer não responda com chavões populares e de cultura   senso comum. Não responda mais do que o necessário, e ao nível de sua compreensão. Deixe-o com um 'gostinho de quero mais".
     
    Nunca prometa algo que não está realmente disposto a cumprir. Não deixe um ar de quem está fugindo da questão ou se irritando com a conversa.
     
    Quando prometer, simplesmente cumpra.
     
    É importante ter em mente que nossos filhos são pessoas humanas cheias de virtudes , sonhos, contradições. São pessoas que guardam em si o direito de terem suas próprias vidas e opiniões . Só que muitas vezes , por  mais boa vontade  de tenham desconhecem as respostas que precisam para atingirem de fato seus objetivos e verem seus desejos concretizados.
     
    Alguém tem que estar disposto  a orientá-los. Não deixe que isso ocorra na rua.
     
    Não despreze nenhuma de suas questões ou preocupações. Como não superestime suas qualidades, exigindo deles o que você não conseguiu. E se conseguiu, deixe-os viver suas próprias vidas. Não espere que ele só acerte. Dê-lhe o direito de procurar suas próprias respostas. Porém, ficando por perto caso ele precise de ajuda.
     
    Esteja sempre pronto e animado para recomeçar. Aqui está o princípio do sucesso.
     
    Faça do seu lar um lugar gostoso de se viver.
     
    Faça suas exigências como quem pede um favor.
     
    Peça a Deus que o ajude a tomar a decisão certa.
     
    Que seus filhos tenham saudades de casa quando estiverem longe e almejem sempre e o mais rápido possível retornar. Este é o maior teste de que estamos no caminho certo.
     
    Nossa casa é o nosso melhor e maior patrimônio. Preserve-a para si  e para toda a sua família!!
 
Con la gracia de Dios  - M. Peres S. 

Livre de vírus. www.avast.com.